A Diocese

De 1696 até 1728, o território piauiense estava na dependência espiritual da Diocese de Pernambuco. Em 1724, com a Bula “Inescrustabili coelesti Patris”, de 27 de fevereiro de 1724, o Papa Bento XIII autoriza a jurisdição das três paróquias do Piauí à Diocese do Maranhão, embora sua desanexação da Diocese de Pernambuco só tenha de fato se dado em fins de 1728. O território piauiense fica sob a jurisdição eclesiástica do Maranhão até 1901, quando é criada, pela Bula “Supremum Catolicam Eclesiam”, do Papa Leão XIII, a Diocese do Piauí, sendo o primeiro Bispo eleito o pernambucano Monsenhor Antônio Fabrício de Araújo Pereira, o qual não aceitou o cargo e conseguiu, da Santa Sé, a dispensa. A primeira paróquia do Piauí foi a Freguesia de Nossa Senhora da Vitória, da Vila da Mocha (Oeiras) datada de 1697, seguida pela Freguesia de Santo Antonio do Surubim (Campo Maior), de 1711. A Freguesia de Piracuruca foi a terceira criada no solo piauiense, desmembrada da Freguesia do Surubim, sob a invocação de Nossa Senhora do Monte do Carmo, foi a última paróquia criada pelas autoridades religiosas de Pernambuco no Piauí, sendo concedida pelo Bispado de Olinda, sua criação, em 1723. Ao território da nova paróquia estavam ligadas 7 Capelas: a do Brejo, Maranhão, que em 1741 se tornou Paróquia; a de Nossa Senhora da Divina Graça, de Parnaíba, que se tornou Paróquia em 25 de setembro de1801; a de Nossa Senhora da Conceição dos Matões, de Piquizeiro (Pedro II), que em 20 de agosto de1851 se tornou Paróquia; a de São Gonçalo, de Batalha, Paróquia em 24 de agosto de 1853; a de Nossa Senhora dos Remédios, de Buriti dos Lopes, Paróquia em 13 de junho de1864; a de Frecheira, interior de Cocal, construída na segunda década do século XVII (1616 a 1619), e a de Nossa Senhora do Rosário dos pretos, de Parnaíba, construída no período de 1770 a 1853. A primeira visita pastoral em terras piauienses que se tem registro, ocorreu no período de agosto de 1742 a janeiro de 1744, realizada pelo Bispo do Maranhão, Dom Frei Manuel da Cruz, ocasião que percorreu mais de 800 léguas, o que corresponde aproximadamente 5.000 (cinco mil) quilômetros, a visita iniciou pelo Vale do Longá, visitando a Freguesia do Carmo, em Piracuruca; Freguesia Santo Antonio do Surubim (Campo Maior); visita a Caratiús (Crateús), em 27 de novembro cria e instala a Freguesia de Nossa Senhora do Desterro do Rancho dos Pratos, depois Marvão, e atualmente, Castelo do Piauí, em seguida visita as Freguesias de Aroazes e do Ó, no distrito de Catinguinha (Aroazes e Valença do Piauí), onde passou o Ano Novo de 1743, seguindo para Freguesia da Vitória na Vila da Mocha (Oeiras), onde permaneceu até 16 de maio, quando seguiu viagem até Parnaguá, retornando a São Luis – MA, onde chegou em 16 de janeiro de 1744.

A Palavra do Pastor