RELÍQUIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS: A experiência da passagem, seu acolhimento e sua mensagem

A Ordem Franciscana Secular (por muitos conhecida por “Ordem Terceira de São Francisco”) se prepara para celebrar os 800 anos da aprovação de sua Regra e Forma de Vida no ano de 2021. Neste ensejo, foi preparada a peregrinação com uma Relíquia do Pai Seráfico São Francisco de Assis, a fim de que todas as fraternidades sejam visitadas até a Celebração do Jubileu. Pode-se ver também uma Animação Vocacional para a forma de vida que São Francisco quis para os irmãos e irmãs que se santificam na vida secular.

A peregrinação é um motivo de grande alegria não só para a Família Franciscana (Frades, Clarissas e Franciscanos e Franciscanas da Terceira Ordem Secular e Regular), mas para todo o povo católico de nosso Brasil, de maneira especial, ao povo nordestino, que tem uma identificação muito forte com São Francisco. Os festejos do pobrezinho de Assis, em nossa região, são muito concorridos, basta olhar Parnaíba, seja em São Sebastião como em São Francisco da Guarita.

A relíquia é composta por fragmentos do corpo de São Francisco, como diz a inscrição que acompanha: “ex cineribus corporis” ou literalmente: “das cinzas do corpo” e recorda a máxima: “lembra-te que és pó e ao pó hás de voltar” (Gn 3,19). O relicário está acompanhado de uma imagem do santo, dentro de uma capelinha de madeira rústica, que formam um belo conjunto para veneração dos fiéis.

Acredito que a relíquia de um santo nos favoreça sentir sua presença, que confirma a graça de Deus em nós, que somos mortais. No exemplo dos santos, vemos fortalecida nossa fé no Deus que exalta os humildes. Como diz São Paulo: “Temos, porém, esse tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.” (2 Cor 4,7). Recordo a oração de São Francisco diante do Crucifixo: “Senhor, quem sois vós e quem sou eu? Vós o Altíssimo Senhor do céu e da terra e eu um miserável vermezinho, vosso ínfimo servo!”.

Mesmo diante da provisoriedade da vida vemo-nos abraçados pela graça santificante de Cristo, que nos convida a ir mais adiante neste caminho de fé e vida. Caminhamos com o olhar fixo em Cristo e cumprimos seu mandato de ir pelo mundo. Hoje, o mundo é marcado pelo secularismo, um mundo desafiante mesmo dentro da própria estrutura familiar. Os valores da vida são questionados, o hedonismo avançou acompanhando o ritmo veloz da internet com suas redes. Isto para citar alguns desafios de nosso tempo. Aí deverão estar os discípulos missionários, que a exemplo de São Francisco, seguem pregando especialmente pelo testemunho.

Desde quando nos encontramos para programar um roteiro de visitação em Parnaíba, os Frades e a OFS, diante da exiguidade do tempo que nos foi dado (da tarde de 24 à noite de 26 de janeiro de 2018), quisemos estar onde imaginamos que São Francisco pudesse se sentir também missionário: em hospitais (Santa Casa, Hospital Dirceu Arcoverde, Hospital e Maternidade Marques Bastos, Clínica Dr. João Silva); Casa Bom Pastor e Abrigo São José (sinal de acolhimento dos irmãos sem teto ou idosos); assim também nas paróquias possíveis: Paróquia da Mãe da Divina Graça, com veneração e Missa na Igreja do Rosário; Paróquia Frei Galvão, o santo franciscano brasileiro; Paróquia de Fátima (Capela de São Francisco da Guarita); Paróquia Santa Ana (Casa Franciscana de Missão da OFS e Igreja Matriz). A Paróquia de São Sebastião foi o ponto de apoio, de onde se partiu para as horas benfazejas de missão.

Foi uma jornada intensa em tão pouco tempo. Desejaríamos ter proporcionado a outros lugares significativos, visto que nosso povo tem uma marca franciscana muito forte. Olhares e preces marcados por lágrimas e confiança na intercessão do humilde santo. Pudemos sentir a sintonia de vida entre os devotos e o santo. Ouso dizer que presenciamos um diálogo aberto entre o sentimento do povo e o santo mais encarnado em sua realidade.

De Parnaíba, a Relíquia de São Francisco partiu para Piracuruca, que atendendo ao pedido de Padre Marcos Francisco (Pároco da Paróquia de São Francisco), os paroquianos puderam acolher com efusiva alegria a caravana que chegava de Parnaíba e seguiria a Piripiri. De lá, a relíquia partiria para outras cidades piauienses onde há fraternidades de Franciscanos e Franciscanas seculares. Foram muitos exemplos de acolhimento e devoção.

Glorioso São Francisco de Assis, roga pelo povo de nosso querido Piauí!

Frei Francisco Sérgio A. Viana. OFMCap.